O que podemos aprender sobre design com Bowie?



O que podemos aprender sobre design com Bowie?

Imagine como seria se você fosse um “designer completo”, que abraçasse a todas as causas e que vivesse em constante mutação, podendo criar das mais diferentes maneiras. Bowie teve um impacto sobre todos os aspectos da cultura. Na moda, na música, na fotografia e principalmente no design. David Robert Jones cursou design gráfico em Bromley College of Art no início dos anos 60 e com certeza isso nos mostra que a arte esteve presente desde sempre na mente e na alma do músico.

 

Mas afinal o que Bowie nos ensina na arte de criar? Sem dúvida, um dos maiores aprendizados é sobre ser polivalente. Seus diversos alter egos Ziggy Stardust, Major Tom, Aladdin Sane, the Thin White Duke, entre outros, traduzem a necessidade de se reinventar. A evolução torna o mercado cada vez mais competitivo e prioriza a necessidade de ter “grandes ideias”. Mas fica complicado ter as “grandes ideias” prendendo-se aos mesmos ideais. Devemos nos inspirar diariamente, imaginar os nossos “Ziggys” e nos permitir criar como outras pessoas.

 

Bowie se permitiu misturar cores, estampas, se libertou de gênero e com suas “maluquices” contribuiu para que diversos artistas se tornassem renomados. Madonna, Iggy Pop, Alexander McQueen, todos foram influenciados pelo “camaleão do rock”. Que nos mostrou um pouco de tudo, do eletrônico alemão ao rock, da cultura desta e até de outra dimensão.

 

Suas ideias loucas concretizaram-se na moda, no design gráfico, no mundo digital, na música, no cinema e no “ser criativo”. Basta observar seu figurino, seus álbuns e suas atuações para perceber o quão genial é o seu legado.

 

Que todos possamos ser “loucos criadores” como David Bowie foi.

Acompanhe as novidades