Marketing Direto – Como utilizar?



O Marketing direto é conhecido por ser um sistema que utiliza um ou mais meios de propaganda para obter um retorno mensurável. Ele é chamado de direto pois consiste em uma comunicação linear. As estratégias de marketing direto mais conhecidas são a propaganda, e-mail marketing, eventos, geração de conteúdo, jornais e revistas. O marketing direto é aplicado pelos profissionais para captação, fidelização e relacionamento com o cliente. Suas estratégias são passíveis de mensuração e apresentam um retorno de curto a médio prazo.

Para trabalhar com marketing direto é preciso desenvolver um planejamento básico sobre o objetivo que a empresa deseja alcançar. Veja abaixo o passo a passo deste planejamento inicial:

 

Objetivo

O primeiro grande passo é analisar qual seria o problema que a empresa precisar resolver, qual sua necessidade atual em relação a vendas e clientes. É importante verificar onde o marketing direto pode auxiliar e a partir da demanda traçar os objetivos a serem trabalhados. O marketing direto é valioso porque possibilita uma vasta disseminação do conteúdo ou campanha que a empresa deseja desenvolver, por isso deve ser pensado como uma estratégia eficiente para ações de promoções, lançamentos e relacionamento.

 

Público-alvo

A fase de definição de público-alvo é essencial para um planejamento de marketing. Se o público-alvo não for bem avaliado a campanha não será satisfatória. Não existe marketing direto para “todos”, o que existe é uma segmentação de público bem específica. Na maioria das vezes o público-alvo do marketing direto é o cliente ou o consumidor final, porém só essa informação não é suficiente para iniciar um planejamento de marketing. É preciso identificar esse cliente como persona e estudar suas características e pensamentos.

 

Ação/Campanha

Com o objetivo bem traçado e o público-alvo determinado é hora de pensar na campanha ou ação a ser feita. É nesse momento que você vai precisar pensar na melhor forma de passar sua mensagem e como vai desenvolver a interação com esse público. Nessa fase vale pensar nos melhores veículos de comunicação para determinados públicos. Por exemplo: se o seu público for da geração Y ou Z é muito mais importante investir em uma comunicação digital, através da criação de conteúdo, do que em anúncios em jornais e revistas. Afinal essa geração é muito mais frequente na web do que nos veículos de comunicação tradicionais.

 

Defina um impulsionador de sucesso

Geralmente as ações de marketing direto precisam de um “incentivo” para que atinjam 100% dos objetivos. Portanto ao traçar a sua ação/campanha pense em algo que possa tornar ela ainda mais atrativa, que a impulsione. O “incentivo” vai variar de acordo com a sua campanha e com o público previamente determinado. Por exemplo: se a sua ação for de relacionamento e você estiver organizando um evento de lançamento de um determinado produto, você pode investir em brindes que poderão ser sorteados no final do evento, ou, oferecer descontos especiais para quem estiver no evento e deseja adquirir o produto do lançamento.  Os brindes e descontos são mais uma atração e um argumento impulsionador para que a pessoa vá até o evento e participe da sua ação. É a forma que as empresas possuem de retribuir a sua contribuição para ação delas.

 

Monitoramento e Avaliação

Após o lançamento da sua campanha, busque monitorar o andamento da mesma. Tente avaliar se as ações, linguagens e incentivadores estão surtindo efeito sob o público-alvo determinado. Um bom norteador para o monitoramento é o andamento das metas pré-estabelecidas no planejamento.  Se a sua ação for única, realize uma avaliação posterior. Analise o ROI e principalmente o grau de satisfação e sucesso da sua estratégia.

Com um planejamento bem alinhado é possível trabalhar o marketing direto de forma bem prática e simples. Para saber mais informações e conhecer cases de Marketing Direto acesse o site da Associação Brasileira de Marketing Direto (ABEMD) – www.abemd.org.br.

Acompanhe as novidades